Cartas de um diabo a seu aprendiz, C.S. Lewis

Eu estava ensaiando para ler esse livro e todos os outros do C.S. Lewis. Ainda não consegui terminar de ler As Crônicas de Nárnia e estou lendo em conjunto Os Miseráveis. Uma salada de livros. Agora, quero falar especificamente sobre Cartas de um diabo a seu aprendiz.

A minha edição é a edição especial da Thomas Nelson Brasil. Capa dura, laranja e preta com a fita dourada e as lombadas laranja. Todas as cores puxadas mais para o dourado. Ao total, são 207 páginas de muitos risos, atenção e reflexão.

Sim, existem muitos risos nas cartas de Maldanado a seu sobrinho Vermelindo. O início do livro é bem denso a até que o leitor vá se acostumando com a enxurrada de informações que podem ser levadas à sério e àquelas que não devem ser levadas a sério. E é aí que o nosso senso crítico deve entrar na história.

NÃO LEVE TUDO A SÉRIO.

Logo na capa, na parte de trás, está escrito assim:
"Irônica, astuta, irreverente. Assim pode ser descrita esta obra-prima de C.S. Lewis, dedicada a seu amigo J.R.R. Tolkien. Um clássico da literatura cristã, este retrato satírico da vida humana, feito pelo ponto de vista do diabo, tem divertido milhões de leitores desde sua primeira publicação, na década de 1940: agora com novo projeto gráfico, tradução e capa dura.
Cartas de um diabo a seu aprendiz é a correspondência ao mesmo tempo cômica, séria e original entre um diabo e seu sobrinho aprendiz. Revelando uma personalidade mais espirituosa, Lewis apresenta nesta obra a mais envolvente narrativa já escrita sobre tentações - e a superação delas."
Grifo a obra dedicada a Tolkien (amei), o ano da primeira publicação (1940) e o fato de o livro ser cômico (muito), sério (nem te digo) e original (nunca vi nada assim mesmo, tenho muito pra ler). Logo no início a gente vê a dedicatória para Tolkien. Quase caí pra trás quando vi.

O que percebi lendo esse livro: a leitura é densa, mas envolvente. A época é de guerra e muitas coisas aconteceram naquele tempo. Durante a narrativa é apresentada a vida do humano, como as coisas têm ido com a sua família e amigos, e principalmente a igreja. Aqui, muitas coisas são ditas e que quem é crente e estuda já sabe. Outras pessoas podem ficar escandalizadas e até mesmo abalar a sua fé com alguns fatos. O que quero dizer é: não sejamos tão inocentes assim, você sabe como é o pecado...

Anotei algumas coisas que são muito bem descritas nas primeiras cartas e como é fácil se deixar envolver por tudo o que está sendo escrito de um para o outro - o que aconselha e aquele que quer ser aconselhado. O humano é um recém-convertido e ele tem uma ideia parcial do que é o reino. A missão de Vermelindo é não deixá-lo ver a Deus, a Jesus. E é quando as coisas começam a ficar cômicas, sérias, divertidas... Não consigo explicar direito em palavras. Grifei algumas partes (literalmente), que serão transcritas aqui:
"Persista incutindo nele a banalidade das coisas. Acima de tudo, não tente usar a ciência (quero dizer, as ciências verdadeiras) como defesa contra o cristianismo. Elas vão positivamente encorajá-lo a pensar sobre as realidades que ele não pode tocar nem ver."
"(...) não o deixe se desviar da inestimável 'vida real'."
"(...) procure dar-lhe uma sensação geral de que ele sabe tudo e que aquilo que consegue fisgar de conversas e leituras casuais é 'resultado de pesquisas mais recentes'. Lembre-se que você existe para confundi-lo".
Página 20.
A ciência como defesa do cristianismo. O grande motivo disso é porque existem tantas perguntas sem respostas que, no fim, cremos pela fé mesmo. A vida real, aqui, ele fala muito do campo da economia e da sociologia, um com fatos numéricos diversos e a sociologia que, pode incluir a economia, claro, mas que estuda o ser humano e o seu ser social, em sociedade. Confusão, confusão, confusão. Só esses trechos de uma página já resultam em uma discussão e tanto.

Se fosse para ler esse livro, ele seria um dos últimos da coleção que a Thomas Nelson está publicando no Brasil. Não é por causa do conteúdo, mas sim porque ele foi um dos últimos a serem publicados pelo autor antes da sua morte. A pessoa aqui gosta de ler os livros em ordem cronológica, de preferência.

Bisus!!

2 comentários:

  1. Existem livros com temática cristã que realmente chamam nossa atenção pelo seu formato/conteúdo: uma viagem pelos nove círculos do inferno acompanhado de um grande poeta, barcas do inferno e do céu onde pessoas são julgadas e encaminhadas, um homem que por amor ao conhecimento faz um pacto com o mefistófeles e finalmente as cartas de um diabo ao seu aprendiz com instruções de como tentar uma alma.

    Esse livro me desperta curiosidade e depois de ler seu post vou lê-lo em breve com certeza !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fiquei muito curiosa com todos os livros que você citou antes, hahaha. Vou pesquisar pra ver se eu acho algum. Agora, sobre esse livro, leia com paciência e crítica. Ele é muito bom.

      Excluir

Tecnologia do Blogger.